EMERJ

Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro

ícone da bandeira que traduz para o idioma Espanhol ícone da bandeira que traduz para o idioma Francês ícone da bandeira que traduz para o idioma Inglês ícone da bandeira que traduz para o idioma Português

FALE CONOSCO

Magistrados

Eventos

Cursos Abertos

Publicações

Portal do Aluno

Concursos EMERJ

EMERJ Virtual

Núcleos de Pesquisa

Fale Conosco fale conosco

Professores de História palestrarão em encontro da EMERJ sobre “Direito e História Antiga”

“O exílio senatorial na antiguidade tardia”, “Libânio e a interferência dos Honorati e Principales nos julgamentos do governador da Síria Coele (Séc. IV D.C)” e “A Noção de virtude e o respeito às leis em Plutarco” serão os temas das palestras do evento “Direito e História Antiga”. O encontro é promovido pelo Fórum Permanente de História do Direito e pelo Núcleo de Pesquisa em Direito Comparado (NUPEDICOM), ambos da Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro (EMERJ).

A reunião ocorrerá no dia 24 de maio, via plataformas Zoom e YouTube. O presidente do Fórum, desembargador Carlos Gustavo Direito, doutor em Direito pela Universidade Veiga de Almeida (UVA), fará a abertura do webinar. No encontro, haverá tradução para a Língua Brasileira de Sinais (Libras).

Participantes

O evento conta com as palestras dos professores Érica Cristhyane Morais da Silva, doutora em História pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp), Gilvan Ventura da Silva, doutor em História pela Universidade de São Paulo, e a pesquisadora do Grupo Taphos da USP Maria Aparecida de Oliveira Silva, doutora em História Social pela USP.

A professora Cláudia Beltrão da Rosa, doutora em História pela Universidade Federal Fluminense (UFF), será a debatedora.

Exílio senatorial na antiguidade tardia

Em 2020, a professora Érica da Silva escreveu o artigo “Exílio, mobilidade e poder na Antiguidade Tardia: o caso de Gala Placídia Augusta (423 d.C.)”, que foi publicado pela Revista Diálogos Mediterrânicos. Nele ela afirmou: “A política de sentenciamento ao exílio, entendido como banimento, não é uma inovação da Antiguidade Tardia. À época da República, o costume de impor sentenças de aquae et ignis interdictio (privação de água e fogo) significava a exclusão do indivíduo da comunidade, dos recursos necessários e básicos à vida. O exílio se desenvolverá a partir desse costume”.

Para ler o artigo na íntegra, acesse: https://www.dialogosmediterranicos.com.br/index.php/RevistaDM/article/view/404/pdf

 Inscrição

Serão concedidas horas de estágio pela OAB/RJ para estudantes de Direito que participarem do evento. Para se inscrever, acesse: https://emerj.com.br/site/evento/8115

 

 

24 de março de 2022

 Departamento de Comunicação Institucional (DECOM)